Hoje andei na chuva

Acredito que uma pessoa nunca pensou realmente a sério na vida que leva se nunca caminhou sem rumo pela chuva. É algo como permitir que os pensamentos deslizem em forma de água por todo o corpo, algo como deixar que os pensamentos menos importantes encontrem o chão e fiquem para trás pelo caminho; e transformar os pensamentos essenciais, as gotas que tocam a pele e permanecem por mais tempo, numa bela gripe.

Muitas pessoas passaram por mim, resolvi cumprimentá-las porque por um instante pareceu inapropriado simplesmente ignorá-las. Algumas apenas me ignoraram, outras me olharam com aspecto curioso como se achassem que sou louca, outras ainda me lançaram um olhar estranho, como se tentassem me reconhecer e duas senhoras devolveram o “boa tarde” com um sorriso. Desisti de cumprimentar as pessoas. Parei em frente a uma faixa de pedestre e esperei durante dois minutos e trinta e cinco segundos até que alguém parasse o carro e me deixasse atravessar a rua.

Muitas pessoas passaram por mim, a maioria continuou ignorando a minha existência assim que fiquei para trás, algumas encaravam minhas tatuagens com olhares ora interessados, ora preconceituosos, ora totalmente neutros porque era apenas algo que estava em seu campo de visão.

Muitas pessoas passaram por mim, e fiquei imaginando quantas delas pensavam em seus cartões de créditos estourados, na conta de luz atrasada, no filho que está usando drogas, na mãe que faz quimioterapia todos os dias e aguarda um transplante de rim, no fim das férias que está próximo, na praia do fim de semana, na vontade de segurar bem forte a mão daquela pessoa e dizer que a ama, muito embora não tenha feito isso há muito tempo.

Sinto uma vontade louca de dizer pra minha mãe que eu a amo. Engraçado que toda vez que a vejo sinto o mesmo por parte dela, então por que quase nunca dizemos? O mais estranho é que senti uma vontade absurda de parar a primeira pessoa que passasse por mim na rua e conversar durante horas com ela sobre isso e sobre muitas outras coisas que não consigo conversar com as pessoas que amo.

Tem alguma coisa de errado comigo, mas não consigo descobrir o que é…

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s