Metaforizando a vida

Um sábado desses, começado às cinco da matina e terminado exatamente  às vinte e uma horas do domingo seguinte; percebi que preciso acordar pra vida. E até acordei, mas ela estava lotada de vazios, enormes vazios, vazios por toda parte, ao lado de vasinhos de flores secas; que me deu preguiça, depois sono e voltei a dormir. Não que minha vida seja ruim. A minha vida é boa na simplicidade de mantê-la nesse padrãozinho procrastinador reprimidamente conservado. Ela é como um suspiro de açúcar e clara de ovos que ficou meio mole, mas que você coloca umas pitadas de limão e come que é uma beleza, puramente por gula. Aliás, um dia me disseram algo sobre limões e vida, que eu simplesmente não pude compreender: que se a vida me desse um limão, eu deveria fazer uma limonada. Fiquei confusa, mas minha resposta foi mais ou menos assim: que talvez eu não quisesse fazer uma limonada e sim um suco de laranja. 

Eu sei, essa metáfora da laranja é ainda pior que a do limão, mas como compreenderíamos a vida, sem essas metáforas cafonas? Como compreenderíamos que viver é essa eterna teimosia em errar tentando fazer a coisa certa? Por isso, é importante saber interpretar metáforas, sobretudo, quando se pretende mudá-las pra dar um gostinho mais dramático, porque viver é um drama sem fim, porém muitas vezes um drama fictício. 

Fui tentar acordar pra vida e percebi que às vezes, viver é fazer a mesma coisa sempre e esperar resultados diferentes quando se deveria fazer o contrário; viver é aquele constante diálogo do cérebro com o coração: “se você sabia como ia terminar, por que começou?” ou “bem feito, eu bem que avisei”. Viver é, sobretudo, fazer cagadas e aprender com elas, ignorando paradoxos que dizem que é melhor aprender com os erros dos outros, porque isso não é prático, todos querem cometer seus próprios erros, mesmo que involuntariamente.

Viver é desejar que os caminhos se tornem retas, quando o que se vê são apenas curvas; viver é se encher de vazios e saudades, assim como quem chora por dentro e sorri por fora. Mas lindeza mesmo é quando se descobre que viver é estar, cheirar, morder, sentir, ouvir, sorrir, olhar, chorar, acreditar, completar, incompletar, brincar, brigar, aprender, ensinar, dormir, acordar, cuidar e orbitar quem se ama.Viver é um nada que se pode completar provisoriamente, por isso recomenda-se conviver com pessoas que tragam beleza e vida pra gente. 

Dos fatos relevantes sobre a minha vida: eu nunca quis o pote de ouro porque estava sempre olhando pro arco-íris. 

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s