E viva o novo!

Vida nova

Continuo viva e capaz de escrever. E enquanto as palavras desintoxicarem a minha mente serei capaz de lidar com as perdas, com a mentira e a traição. Enquanto eu puder esgotar cada gota de veneno autodestrutivo produzido pela minha mente insana através das palavras, ainda que medíocres, serei capaz de lidar com minha alma e com a perspectiva do novo que sempre me apavora. Porque logo serão novos olhos, nova boca, nova conversa em novos “lugares importantes pra nós”, nova “nossa música”, novo “eu te amo”.  A eterna busca por alguém que des-eternize essa busca. Isso seria insuportavelmente triste, se não fosse apenas o que é: inevitável. De qualquer maneira, pode-se aprender a ser suficientemente forte para viver sozinho, mas sempre fica o âmago sexual que leva a paixões desvairadas que levam a busca por outros amores. De qualquer maneira sempre fica a busca.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Amor, Ansiedade, Vida. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s