Estranhos amigos

Cartas de Amigos

 

 

 

 

 

 

Encontrei algumas cartas

Escritas com letras e formas

Perfumadas de passado

Perdidas na esquina de uma gaveta,

E por um momento a música voltou a ser velha

Os cômodos da casa a ser antigos,

Havia menos verdade nas palavras

Que em suas próprias sensações.

Quantos sorrisos havia

Quanto gesto se via

Ali nos pedaços envelhecidos de papel.

Eram conversas no portão

No chão, vinho, cerveja, cigarro e prosa,

Eventualmente um baseado e camaradagem.

Pedaços de versos compartilhados

E promessas de vida longa a amizade

Que duraram alguns outros invernos.

Senti a vida tornando-se opaca

Naquelas folhas

Éramos idiotas e felizes

E não há nada no mundo forte o bastante

Que me afaste essa lembrança.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Amizade, Infância, Poema. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s