Foram-se os dias ou a vida?

Estranho

Estranho é viver dias que não foram feitos pra mim

E saber que eles não são recuperáveis.

Estranho é perceber que as pessoas não se importam

E saber que eu também não me importo

O quanto tento demonstrar.

Estranho é estranhar aquele rosto que já foi tão familiar

Estranho é a ausência de presenças.

Estranho é aquela sensação

Sem nome e sem sentido, mas que inquieta.

Estranho é não poder determinar

Onde acaba a linha da sanidade

E começa a da loucura.

Estranho é querer tanto sem ao menos saber o que.

Estranho é pensar em milhões de palavras que não podem ser ditas.

Estranho é se sentir um estranho em sua própria vida.

Estranho é estranhar o estranho com estranheza demasiada.

Estranho seria tentar encontrar sentido em tantas palavras vazias.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Ansiedade, Poema, Sentimento, Tempo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s