A influência sociocultural das novelas

crianca-vendo-tv

A novela é de longe a maior atração da TV brasileira, veiculada principalmente pela Rede Globo que tem total domínio do setor há décadas. Por muitos é considerada uma atração fútil também. Mas vamos lá, futilidade por futilidade, todo mundo tem a sua. Não adianta tomar aquela postura pseudointelectual de que não vê novelas ou não toma gosto por conteúdos superficiais. Quer coisa mais superficial do que boa parte do que acontece na internet? A maioria das pessoas se preocupa muito em manter uma aparência longe de qualquer vestígio de futilidade, mas diga-se de passagem, isso é impossível ao ser humano, temos comportamentos fúteis hora ou outra e esse não é o problema, mas sim, a sua proporção.

Voltando às novelas, o ponto chave da discussão é simples: As novelas são um instrumento poderoso na formação do modelo daquilo que deve ou não ser aceitável pela sociedade. E no Brasil há um alcance desse tipo de programa como não há em nenhum outro. Durante o período da ditadura os autores já percebiam esse tipo de arma na luta contra o sistema, apresentando ideias e valores. Hoje, vemos de forma recorrente, a crítica à religião, preconceito, machismo, etc. O que de fato é muito válido, desde que não aconteça de forma distorcida.

A maior estratégia de influencia generalizada usada pelas novelas é a família. Em todas as histórias o que há de comum é que a família está sempre no centro das transformações. Estudos apontam que as novelas têm um papel importante em algumas transformações comportamentais ao longo dos anos, como por exemplo, o aumento do divórcio e a preferência por menos filhos, uma vez que esse tem sido um padrão nas famílias novelísticas.

Outro fator que em minha opinião, é diretamente influenciado pelas novelas, é a transformação da postura feminina. Toda a conquista feminina por um espaço igualitário na sociedade, principalmente no mercado de trabalho, foi e é uma das ideias disseminadas pelas novelas, e não é a toa que sem dúvida este é o seu principal público. O problema que vejo, é quando as novelas mostram uma quebra de limites onde a busca pelo amor e o prazer feminino é um ideal a ser defendido mesmo que para isso a mocinha tenha que cometer adultério.

Mas essa influencia não vem só por parte das novelas, e sim da TV de modo geral que impõe uma padronização de comportamento e ideais. A questão é que a novela é o melhor e ao mesmo tempo pior canal de difusão de ideias sociais, pelo menos no Brasil. Ela poderia disseminar questões socioculturais de maneira positiva, uma vez que temos um índice de analfabetismo e a cultura pela leitura em nosso país ainda é baixa. As novelas poderiam ser essenciais para a circulação de ideias. Esse instrumento deveria ser usado para a formação das mais variadas políticas de desenvolvimento, principalmente cultural, mas ao contrário disso, vemos que a essência da maioria das novelas é única e exclusivamente superficial, o que infelizmente não é capaz de ao menos levar as pessoas a pensarem em algo além de fofocas e intrigas.

Em tempo: Antes de acompanhar uma novela, leia livros.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Comportamento, Crítica, Crônica, Mulher, Novela, Política. Bookmark o link permanente.

8 respostas para A influência sociocultural das novelas

  1. thamy disse:

    tapa na cara da amiga que ta virando noveleira :o

  2. Hahaha eu tb já fui Thamy, mas já tiveram novelas muito boas, mas hoje em dia sinceramente ta difícil!

  3. Me diz uma muito boa …

  4. Jean Fillipe disse:

    “A programação existe pra manter você na frente, na frente da TV, que é pra te entreter, que é pra você não ver que o programado é você!” Até Quando, Gabriel o Pensador

    Seria sim, um ótimo propagador de ideais progressistas, caso os donos de emissoras quisessem realmente o progresso, mas não querem. E Thamy, uym bom exemplo de novela legal é “Cidadão Brasileiro”, “A escrava Isaura” e “Vidas Opostas”.

  5. Isso Jean eu ia falar a escrava Isaura rs lembrei de outra, “Que rei sou eu” era de época, eu era muito pirralha, mas me lembro um pouco!

  6. Alana disse:

    hello, that is a cool report! it gave me exactly the information i was looking for!!http://www.casaemail.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s