Lápis, caderno e Chicletes

Saudade da minha infância quando eu brincava despreocupada

Olhava o mundo e o mundo me agradava

Olhava as pessoas e as pessoas me fascinavam

Olhava o infinito e o infinito me intrigava

Lápis, caderno e chicletes, eram as coisas que mais me encantavam.

Depois de crescida me perco muito fácil

No mundo de pessoas e no infinito das palavras

No olhar sem direção lançado muito rápido.

Vago por ai e não me acho

Com lápis, caderno e chicletes debaixo dos braços.

Eles ainda me encantam.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Infância, Pensamento, Poema. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Lápis, caderno e Chicletes

  1. Jean Fillipe disse:

    Gosto de afirmar que a infância é a melhor fase da vida. Longe de preocupações, da correria do dia-a-dia, tudo o que me preocupava era a que horas minha mãe me mandava voltar pra casa. Há quem diga que não trocaria o conhecimento por nada desse mundo. Eu, não só trocaria por uma infância infinita, como digo que a ignorância, nessa fase fantástica da vida, é sim, uma benção.

  2. Que bonito isso que tu escreveu Jean! *-*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s