Em estado transitório

Por Fabiana Silva

Você já passou por uma fase na qual teve certeza ser a pior de toda a sua existência? Um momento onde tudo parece conspirar contra você, ser otimista não é o bastante, pois essa fase parece ser eterna. Geralmente é nesse momento da vida que você percebe que chegou a hora de escolher entre continuar andando por ai sem rumo com os pés cravados no chão, ou aprender a voar.

Quando finalmente você percebe que está exatamente nesse momento, vem um gelo na barriga, palpitação, confusão de pensamentos. Ninguém se prepara pra esse tipo de coisa. Quando criança, fantasiamos uma vida de adulto cheia de emoções e decisões sábias, aliás, passamos a melhor fase da vida, a infância, sonhado em ser adultos. Quando finalmente nos tornamos adultos, estamos sempre muito ocupados e o tempo é precioso demais pra gastá-lo com preocupações futuras de coisas que talvez nunca aconteçam.

Você treina seu otimismo a pensar que quando você sofre, lá fora existe alguém que sofre mais que você, e de momento isso parece amenizar os sentidos. Mas isso jamais fará completo sentido pra você, por mais que seja verdade, o nosso egoísmo não é sensível a esse apelo simplesmente porque não sentimos a dor do outro. A nossa dor sempre será infinitamente maior, e por sinal não vejo isso apenas como egoísmo, pode ser também uma forma que encontramos de nos sentir fortes por conseguir suportar tanto.

A pior sensação que existe é a de olhar adiante e não saber que rumo tomar. Isso certamente nos tira fora do eixo, mas arrisco dizer que as melhores coisas que podem nos acontecer são essas, as que nos sacodem, nos dão um tranco e nos fazem acordar, seja de um sonho inerte ou de um conformismo agravado. E daí se tem horas que você não sabe o que quer ou o que deve fazer? O problema é a sua permanência nesse estágio, aliás, deve ser o mais breve possível, concentre-se nisso.

O pior momento da sua vida será delimitado por uma única palavra que só tem valor quando deixa de ser palavra, a atitude. Essa fase de aprender a voar é certamente uma das mais valiosas, pois é quando nos tornamos verdadeiramente forte, ou não. Depende da atitude. É nesta fase que evoluímos, aprendemos a tomar decisões certas e aprendemos a evoluir com as erradas, ou não. Depende da atitude. É quando você precisa fazer algo novo, se arriscar a ser corajoso, ou não. Apenas se tiver atitude.

Arriscar-se é preciso, alguns dizem que com o pé no chão, não sei se é possível, só sei que  mergulhar de cabeça é mais intenso e mantém os pés bem distantes do chão. Todo mundo passa pelo intensivo da decisão, todo mundo tem momentos tristes, depressivos e melancólicos, por sinal eles podem ser frequentes, e são importantes, mas convenhamos são momentos chatos, chatos e chatos. São momentos para evolução e aprendizado, mas devem ser transitórios, preferível é o bom e velho tesão de estar de bem com a vida que se leva.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Assuntos aleatórios, Comportamento. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s