Sobre o desapego

Por Fabiana Silva

Desapegar-se de algo é um processo cheio de dolências porque é o mesmo que admitir que aquilo que você quis ou lutou inevitavelmente deve ser esquecido ou deixado de lado, ao menos na teoria. E o agravante é justamente o fato de que durante certo tempo (ou muito tempo) se cultivou afeto e apego por esse projeto ou pessoa, e se torna muito difícil deixar ir.

Eu sempre me considerei desprendida das coisas e pessoas. Não sou uma pessoa sem ambições, mas nunca fui de investir tudo de mim em algo que eu realmente quisesse. Sempre pensei que a maneira mais fácil para se ter algo é merecer, e forçar o “ter” apenas porque é o meu desejo nunca foi do meu feitio. Por um tempo pensei que eu desistia fácil daquilo que queria, mas depois descobri que às vezes eu apenas deixo de querer. Essa é a forma mais simples de desapego.

Existem pessoas que se dispõe de tanto tempo para planejar, e planejar que sinceramente não sabem à hora de parar. Podem passar a vida inteira planejando, incansavelmente e não percebem que a elas jamais pertenceu à realização. Criam desculpas que só fazem ocupar espaços que deveriam pertencer aquilo que transforma.

E o que dizer do apego emocional? Pessoas não querem se perder das outras, tem medo de entender que o que passou jamais voltará e custam a aceitar o temido fim. É nesse ponto que costumam tentar entender qual foi o erro e encontrar motivos, mas creio que o melhor a fazer não é tentar entender nem desentender, simplesmente porque a esta altura já não há mais o que fazer. Parece-me doloroso, porém prático.

Confesso que me falta paciência pra tentar entender porque as pessoas gostam tanto de se prender ao fim. É aquele drama, fim do poço e blá blá blá, extremamente maçantes. “Não posso viver sem fulano”, “eu não existo longe de sicrano” etc. Só para esclarecer uma coisa, você existiu a vida inteira longe desta pessoa, portanto você sobreviverá! E quem sabe depois disso aprenda um pouco sobre amor próprio e coisas do gênero.

Obviamente eu não poderia deixar de lembrar que o perfil do parágrafo anterior evolui, sim por incrível que pareça ele evolui e em torno disso há uma ideia errada de desapegar-se. Esse tipo de pessoa acha que sofreu muito por amor e, portanto passa a ter uma filosofia de vida segundo a seguinte frase “eu pego, mas não me apego”, é claro nem vou me aprofundar, mas com certeza desapego não tem nada a ver com isso.

Desapego significa descobrir que o mundo é muito maior do que o nosso mundinho pessoal, e que, para viver nele é preciso se soltar. Desapego é o modo que a vida tem de nos ensinar a ser livres! Desapego é deixar ir, sim, com gratidão pelo que se teve e pela oportunidade de saber e poder traçar novos caminhos! Desapego é deixar ir sem dó para que haja evolução, mudança e crescimento! Tudo que prende, sufoca. Mas tudo que se faz valer a liberdade é sincero.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Comportamento, Crônica. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s