Mulheres não envergonhem a raça

Por Fabiana Silva

Não existe nada mais fútil em uma mulher, que cultivar ou buscar um relacionamento baseado em interesse material. Ou melhor, existe sim, mas vamos por partes. A mulher interesseira não se atrai por um homem que tenha conhecimentos, mas sim posses. Ela não se interessa por um homem que abra a porta do carro, da casa ou puxe a cadeira, ela se interessa pelo tipo de carro que ele possui, pela casa que ele pode lhe oferecer e pelo quão chique será o restaurante que vão frequentar. Apega-se exclusivamente ao que é vantajoso, e age focada no lucro que aufere de tal operação comercial, digo relacionamento. A princípio ela pode parecer interessante, mas apenas até onde for conveniente.  Isso é o que eu chamo de ser estrategicamente dissimulada.  Pra elas eu digo: sejam interessantes, não interesseiras.

Existe também aquela mulher que se orgulha por conseguir se destacar através do corpo escultural e usa essa qualidade como a principal arma de sedução. Como são ingênuas! Mulheres assim existem aos montes, e convenhamos os homens podem até escolher entre ruiva, morena, loira, negra. Elas existem de todos os tipos e tamanhos. Porém, uma mulher inteligente tem consciência de seus atributos físicos, mas sabe que além de conseguir fazer um homem abrir as calças em segundos, pode muito antes fazê-lo abrir a mente. Portanto, usem o cérebro, não a bunda ou o peito.

E o que dizer para aquela mulher que resume sua vida a de um homem? Mulheres, entendam, ele deve ser especial não essencial para a sobrevivência. Então, seja independente, não carente. Mas não confunda independência com feminismo, não, não e não! Quando digo independente, sugiro que dependa apenas de você para estar bem, para ser feliz, para fazer o que gosta. Ao pensar assim, jamais se sujeitará a alguém que não te respeite ou te faça mal, apenas por carência. Aliás, carência em excesso é um sentimento abominável.

Como disse antes, existe sim mulher mais fútil que a interesseira. Não sei como classificá-la, portanto: Mulheres do meu Brasil, por favor, parem com essa história de “chão, chão, chão”!  Nenhum homem que realmente valha à pena vai respeitar uma mulher que acredita estar sendo sedutora dançando uma coisa escrota que tem pretensões de ser música. Dessa maneira, está seduzindo apenas para o acasalamento, no sentido literal da palavra.

Pra essas mulheres em especial eu digo: sejam atraentes, não vulgares. Não envergonhem a raça. E finalmente, existe a mulher que tragicamente reúne todas essas características, a ela resta apenas uma observação: Você não vive você futiliza.

Anúncios

Sobre detantopensarescrevi

Um dia acordei e estava espalhada, haviam palavras por todos os lados, e não tinha como junta-las, foi então que decidi escrevê-las.
Esse post foi publicado em Comportamento, Crônica, Mulher. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Mulheres não envergonhem a raça

  1. Eu gosto desse texto de um jeitinho todo especial rs *.*

  2. =) Eu tb sabia! Foi o Primeiro que escrevi!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s